Um plano pessoal de engajamento da prática do ensino

Por Matheus de Vasconcelos Casimiro.

QE-fotoMatheus

As aulas assistidas na Disciplina “Questões de Ensino em Arquitetura e Urbanismo” suscitaram diversas indagações e mais incertezas do que certezas absolutas acerca dos caminhos a serem trilhados na prática professoral. Creio ser essa condição positiva, pois uma das frases mais repetidas em sala de aula é que os bons professores são os que mais questionam a sua formação e ação, ou seja, que questionam a própria prática de si. Dessa forma, o sentimento da “segurança” ou das “certezas” seria antagônico a essa condição, e, de certa forma, até indesejável para a boa realização do trabalho do professor, pois, devemos entender que suas atitudes são passíveis de confrontamento e melhorias. Se portar com uma postura humilde, revelando efetivamente uma intenção de melhorar a vida do alunado, pode ser uma resposta mais assertiva para se alcançar o sucesso na prática dessa ocupação.

Para o desenvolvimento de uma carreira professoral satisfatória, saudável e almejando o reconhecimento, é indicado se apoiar em princípios de professores experientes, em especial para os iniciantes, como é o meu caso. São posturas que podem dar subsídio ao melhor desempenho de uma prática em sala de aula, mesmo em meio ao contexto de tantas incertezas. Tomando-se como referência o livro “Advice for New Faculty Members”, do Robert Boice, tentei organizar três frentes de atitudes importantes a serem desenvolvidas, calcado na própria divisão do livro que aconselha o aprimoramento pessoal em três áreas do professor acadêmico: melhoria na prática professoral em sala de aula; avanços na produção técnica escrita; e a instituição de bons relacionamentos profissionais com outros pares da área técnica. Assim sendo, seguem pontos a serem desenvolvidos em curto prazo de tempo:

 3.1. Prática na Sala de Aula

– Fazer estágios docentes e dar aulas como palestrante/professor convidado;

– Realizar palestras nas áreas técnicas que almejo lecionar;

– Desenvolver trabalhos técnicos de relevância na prática profissional afins ao interesse da academia;

 3.2. A Prática da Escrita

– Desenvolver leituras da área que auxiliem na formação de um repertório técnico;

– Fazer leituras direcionadas de artigos técnicos para entender formato e padrões desejados;

– Ter o hábito de escrever sobre questões pertinentes da área;

– Estar atendo a fóruns, seminários e congressos da área;

 3.3. A Formação de Vínculos Sociais

– Participar de atividades promovidas pelas universidades;

– Manter contato com pesquisadores da área;

– Me prontificar a participar de projetos e grupos de pesquisa, sendo útil para professores em exercício.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s